Games Fox

Happy Winter
 
InícioFAQBuscarRegistrar-seMembrosGruposLogin

Compartilhe | 
 

 The Tormented

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
!-_Gui Witch_-!
Moderador
Moderador


Número de Mensagens : 495
Idade : 22
Localisation : Em algum lugar do mundo com Lara Croft xD
Data de inscrição : 07/07/2007

MensagemAssunto: The Tormented   Sex Fev 08, 2008 9:00 pm



Cap.1 – A Vila Amaldiçoada

Em uma vila isolada de Hong Kong viviam Sahray e Kiryu. Dois irmãos que se odiavam.

- O que é isso? – perguntou gritando Sahray quando entrou em seu quarto.
- Isso o que? Isso aqui? – perguntou Kiryu debochando.
- É! O que você fez? – perguntou Sahray raivosa.
- Eu estava ouvindo. – brincou Kiryu.
- Você quebrou o meu CD da Hi Hi Puffy Yami Yumi, Kiryu! – gritou furiosamente Sahray.
- Sério? Não percebi. – disse Kiryu debochando novamente.
- SAI DAQUI AGORA! – gritou Sahray.

Ele saiu correndo e sentiu um ventinho de um tamanco voador passar por cima de sua cabeça.

- Mamãe! Vou para escola! – disse Kiryu, pegando sua mochila e saiu correndo com a bicicleta para a escola.
- Seu peste! Eu juro que pego ele na escola. – disse Sahray pegando a mochila.
- Mocinha! Volta aqui! – disse a mãe de Sahray olhando por cima dos óculos.
- O que é mãe, não vem encher o saco. – disse Sahray mal-humorada.
- Você não fala comigo nesse tom que te deixo no sótão. – gritou a mãe.
- Ta bom, me desculpe. – desculpou-se Sahray em voz baixa.
- Acho muito bom. Vá pra escola. – ordenou a mãe.

Sahray saiu brava de casa, quando chegou à escola, Kiryu se escondeu dela. Mas durante o dia nada demais aconteceu. Quando chegou a noite.
*Barulho de Porta*

- Deixa que eu atendo mãe. – disse Sahray, se levantando da mesa e atendendo a porta.
- Oi Prima! – gritou uma garota parecida com Sahray, com umas malas.
- Mayu! O que faz aqui? – perguntou Sahray abraçando-a.
- Vim passar as férias com vocês. – gritou Mayu, dando pulos de felicidade.
- Ah! Que legal, você saiu de férias hoje também? – perguntou Sahray animada.
- Sim! – afirmou ela ainda parada na porta.
- Erm... É... – ficou sem ter o que falar Sahray.

2 MINUTOS DEPOIS... As duas ainda estavam paradas na porta se olhando.

- Ah! Você não quer entrar? – perguntou Sahray sem jeito.
- Até que enfim, onde está sua educação? – perguntou Mayu debochando.
- Erm... É que estou no mundo da Lua eu acho. – comentou Sahray.
- Ela anda muito no Mundo da Lua por meu gosto. – gritou sua mãe lá de dentro.
- Tia Yae! – gritou Mayu abraçando sua tia.
- Mayu, Mayu, Mayu! – Kiryu veio correndo e deu um pulo no colo de Mayu que chegou a derrubá-la no chão.
- Calma Kiryu! – gritou Yae, mãe de Sahray e Kiryu. - Vamos, vamos jantar. Hoje fiz uma especialidade minha! Yakisoba!
- Oba! – gritaram os três.

Eles jantaram e Sahray e Kiryu foram dormir, mas é claro que eles iam ficar fazendo bagunça com sua prima Mayu até tarde.

- Uhuu! Deu 6 no dado! – gritou Mayu.
- Ah não! – reclamou Sahray quando viu que perdeu o jogo.
- Mayu? Mayu? – perguntava Kiryu puxando a roupa dela.

Mayu começou a correr as escadas da casa e saiu pra rua.

- Pega lanterna! Pega! – gritava Sahray.

Eles saíram correndo atrás de Mayu com a lanterna e Mayu entrava para dentro do mato até que eles chegaram a uma vila escura.

- Mayu! O que houve? – perguntou Sahray.
- Não sei, uma música me hipnotizou, vocês não ouviram? – perguntou mayu.
- Não! – responderam Mayu e Kiryu.
- Bom, vamos embora. – disse Mayu.

Eles voltaram pelo mesmo caminho, mas...

- O que? Nós estamos no mesmo lugar. – assustou-se Mayu.
- Tem uma placa aqui. Bem-vindo a Vila Kankiri. – disse Kiryu.
- Hã! Não... Oh Meu Deus! Não! – gritava Mayu desesperada.
- O que foi Mayu? – perguntou Sahray.
- Esta vila foi amaldiçoada, ela é uma vila FANTASMA! – gritou Mayu.
- Isso é impossível? Você está ficando louca. – gritou Sahray.
- Não está não. Se fosse de verdade... Não teria vultos brancos. – comentou Kiryu.
- O que é aquilo? – perguntava-se Sahray assustada.
- Eu sei a história disso. Toda criança que completasse seus 18 anos era sacrificada, pois aos 18 anos eles eram muito violentos. Então, um dia, uma garota chamada Mayu, descobriu o Ritual da Morte e fugiu a vila... Assim, eles pegaram uma mulher adulta já e sacrificaram-na no lugar da garota, mas o espírito do ritual não gostou e mandou-a de volta possuída. Ela matou todos da vila e jogou uma maldição na vila e sumiu. – contou Mayu.
- Mas o que tem haver isso com nós? – perguntou Kiryu.
- Eu! Eles querem me sacrificar para fazer o ritual correto desta vez e eu tenho? – perguntou Mayu para Sahray.
- 18 Anos! – afirmou Sahray.
- Gente... Fantasma machuca a gente? – perguntou Kiryu.
- Machucam, esses machucam, pois não são fantasmas, são pessoas possuídas. – gritou Sahray.
- Sim, aqui, dizem que tem uma casa de refúgio para os jovens de 18 anos, mas ela fechas 10:00 horas. – comentou Mayu.
- Agora são... 9:55! – gritou Sahray olhando seu relógio.
- Corre! É pra lá. – gritou Mayu que saiu correndo.

Eles correram e correram até que chegaram á uma casa enorme.

- Mayu, Say! Estou cansado. – gritava Kiryu parando.
- Vem! – gritaram as duas que estavam na frente.
- Não dá! – sussurrava Kiryu.
- Vem Kiryu! – gritou Sahray lá na frente.

Ele tentou correr o mais rápido que conseguia e viu as pessoas atrás deles, correndo também.
Kiryu chegou perto das garotas, elas viraram em uma escada e entraram em uma porta que se fechou logo depois, deixando só o tênis de Mayu pra fora que trancou na porta.

- Aff... Aff... – sussurrava Mayu. – Quase que não entramos.
- Kiryu! Kiryu! – chamava Sahray pela casa.

De repente alguma coisa bate na janela.

- Aqui fora! Aqui! – gritou Kiryu, olhando assustado para os lados.
- Droga! Abre porta maldita. ABRE! – gritava Sahray puxando a porta.
- Não abre depois que fecha!Não se abre mais. – disse Mayu.
- Eles estão aqui! – gritou Kiryu.

Sahray não fez nada, só viu o irmão sendo levado á força pelas pessoas possuídas.

- Agora é sua vez! – gritou Mayu com uma voz grossa e assustadora.
- O que? – perguntou Sahray olhando para trás.

Ela viu Mayu com os olhos vermelhos e com uma foice na mão.

- É isso o que acontece com os adolescentes na vila quando completavam 18 anos, Sahray! – disse Mayu, ainda possuída.
- Mayu, não! Mayu... Por favor. – cochichava Sahray, indo pra trás e tropeçando nas caixas.
- Quem entra, nunca sai! Muahahaha! – gritou Mayu.

To Be Continued...


Última edição por ||>Gui Witch&l em Qui Maio 08, 2008 8:52 pm, editado 5 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.kzam.atra.ig.com.br
!-_Gui Witch_-!
Moderador
Moderador


Número de Mensagens : 495
Idade : 22
Localisation : Em algum lugar do mundo com Lara Croft xD
Data de inscrição : 07/07/2007

MensagemAssunto: Re: The Tormented   Sab Fev 09, 2008 12:35 am

Cap.2 – Toshio?!

- Mayu! Para! – gritava Sahray.
- Por que eu pararia? – perguntou Mayu.
- Porque sou sua prima, sou sua melhor amiga! – gritou Sahray.

Mayu parou e largou a foice por um instante.

- Desculpe prima! Mas não posso me controlar. – disse Mayu.
- Não foi nada, eu sei que estava possuída. – disse Sahray.
- Tudo bem, mas da próxima vez que acontecer isso você... – dizia Mayu.

“Barulhos de porta”

- Corre! – completou Mayu.
- Quando acontecer isso de novo é pra eu correr? – perguntou Sahray.
- Também! Mas eles estão tentando arrombar a porta, Kiryu não foi suficiente. – respondeu Mayu. - Vamos, vamos! Temos que nos esconder.

Elas se separaram e as pessoas entraram...
Mayu viu de relance as pessoas se comunicarem, mas não conseguia entender porque parecia outra língua.

- Acho que no armário eles não vão procurar... – cochichou Mayu esperançosa.

De repente ela os ouviu gritarem na sua língua.

- Não encontramos a garota de chiquinhas, chefe! – gritou um deles.
- Procurem nos armários! – gritou ele.
- Droga! – sussurrou Mayu.
- Shhh! – pediu silêncio o chefe. – Eu ouvi alguém falar, veio da última porta. Vai lá Toshio!

Toshio, um garoto “normal” foi até o armário no canto escuro e abriu ele com tudo. Ele se assustou ao ver Mayu e disse ao chefe que não havia ninguém ali.

- Vou ficar mais um pouco, vou procurar pistas. – mentiu Toshio.
- Está bem! – disse o chefe, chamando os outros.

Ele abriu o armário de novo e Mayu saiu de lá.

- Mayu?! – assustou-se Toshio.
- Toshio?! – assustou-se também Mayu. – O que faz aqui? Você está com eles?
- Não! Fui pego e eles disseram que se eu os ajudasse a pegar vocês eu não seria morto. – respondeu ele.
- O que?! Você vai me prender? Você quer me matar? Depois de todos aqueles momentos juntos que nós tivemos você não pena de mim, não? – irritou-se Mayu.
- Shhh! Eu estou mentindo pra eles... Só quero sair daqui, pois eu sei que eles não vão me poupar. – cochichou Toshio.
- Ah! Você vai nos ajudar? Que legal! – se empolgou Mayu.
- Ta ta! Não pula muito que eles vão perceber. Temos que sair da casa. – comentou Toshio.
- Ta! – afirmou Mayu fazendo sinal com a cabeça.

...

- A janela! Tem um caminho aqui em cima. – disse Mayu, abrindo e saindo para fora da janela.

Ela viu lá embaixo, um bando de pessoas levando Kiryu nos braços. Kiryu enxergou Sahray e fez o maior chilique.

- Say! Say! Aqui em baixo, aqui! Ela vai matar vocês seus bobões. – gritava Kiryu desesperado.

Todo mundo olhou pra cima com uma cara nada boa e Sahray tentou sair dessa.

- Ah! Oi, como vocês estão? Eu estou ótima. Ai, que fofis essas foices, combinou com a roupa de vocês. Se quiserem dicas de modas conversem comigo, hahaha! Acho que ouvi alguém me chamando, eu vou verificar,
já volto. Eu acho que foi minha prima... Erm... É... Isso ai! – Sahray começou a bater palmas sem jeito e disse pelo canto da boca virando-se para trás e batendo de frente com o chefe deles. – Garoto pestinha!
- Olá mocinha! – disse ele, com uma voz estranha. Ele usava um sobretudo com um capuz. Só seus olhos vermelhos e malignos apareciam na escuridão do capuz.

Ele amordaçou Sahray e amarrou suas mãos com uma corda extremamente grossa e forte.
Eles levaram para um galpão escuro com velas azuis. Colocaram-nos em uma cela sozinhos em quanto isso Mayu e Toshio tentam achar os dois.

- Lá é a prisão deles? – perguntou Mayu.
- Acho que sim, nunca fui lá. – disse Toshio.
- Você se lembra como a gente se conheceu... – lembrava Mayu.
- Erm... Mas é claro que eu lembro, você se lembra onde foi né? – perguntou Toshio meio sem jeito.
- Claro... Bom, mas isso não vem ao caso. – disse Mayu.

...

- Mmmmm!!! – murmurava alguém junto na cela.
- Quem é? Vai lá ver Say. – disse Kiryu vendo que tinha alguém no canto escuro da cela.

Sahray foi até lá e quando ia ver o rosto ela ouviu a porta.

- O que você está fazendo? – perguntou uma mulher. – Se sua amiguinha não aparecer, seu irmãozinho querido morre.
- Ah! Tudo bem, não vou sentir falta dele mesmo. – disse Sahray, não fazendo idéia do que ia acontecer.
- Então está bem, se ela não aparecer até a meia noite seu irmão morre. – disse a mulher.
- O.O’’ – careteou Sahray.
- Bom, daqui a 2 minutos vai vim um guarda novo. Ele vai dar um trato em vocês, muahaha! – cochichou a mulher.
- Droga! Temos que fazer alguma coisa. – disse Kiryu.
- Mmmmm! Mmmmm! – murmurava ainda mais aquela pessoa.
- Estou com medo, esse pode ser o novo guarda. Pode ser uma armadilha. – sussurrava Sahray.
- Sai da frente, eu vou ver! – gritou Kiryu.

Ele chegou bem perto, bem perto, fechou os olhos e retirou a corda dele (Sahray e Kiryu já estavam desamarrados), tirou a fita adesiva da boca da pessoa e ele apareceu na luz.

- Mas quem é ele? – perguntou Kiryu apertando os olhos. – Eu não conheço pelo menos.
- TOSHIO?! – gritou Sahray.

To Be Continued...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.kzam.atra.ig.com.br
!-_Gui Witch_-!
Moderador
Moderador


Número de Mensagens : 495
Idade : 22
Localisation : Em algum lugar do mundo com Lara Croft xD
Data de inscrição : 07/07/2007

MensagemAssunto: Re: The Tormented   Seg Fev 11, 2008 2:47 am

Cap.3 – Os Dois Toshios

- Oi Sahray! – cumprimentou Toshio.
- Erm... Oi Toshio! O que faz aqui? É por isso que não foi a aula 5 dias seguidos? – perguntou Sahray.
- Eu não f... Ah! Mas é claro que não fui! – disse ele coçando a cabeça.
- Estou confusa... Eu não agüento mais, isto é uma tortura... – comentou Sahray.
- E eu então? Como se não bastasse, eu ainda sou raptado por engano. – comentou Kiryu indignado.
- Cale a boca! – gritou Sahray, dando um tapa na sua nuca.
- Tem outro Toshio aqui! Ele está solto, a essa hora, ele deve estar tentando enganar Mayu e levando ela para o ritual. – disse Toshio.
- O quê?! Temos que ajudá-la e... Como? Outro Toshio? Explique-me. – disse Sahray.
- Um mago estranho tomou minha forma e copiou minha voz para enganar Mayu e sacrificá-la. – apressou-se Toshio em dizer.
- Nossa! Temos que sair daqui! – exclamou Sahray.
- Eu posso ser útil. – intrometeu-se Kiryu apontando para uma janelinha no alto.
- Kiryu! Você é um gênio... Como você sobe lá? É muito alto, acho que tem mais de 7 metros. – disse Sahray.
- Mana! Abaixa ai! – Sahray se abaixou e Kiryu subiu em sua cacunda. – Toshio coloca Sahray na sua cacunda.

Toshio se abaixou e com muita dificuldade se levantou e ficou perto da janela.

- Viu! Uma escada humana! – gritou Kiryu. – Aprendi isso em Educação Física.
- Sai daqui agora e pula nessa janela! – gritou Sahray.

Ele pulou na minúscula janela e saiu pra fora, sua sorte era que embaixo da janela tinhas caixas, acho que já foi feito pra fugir.
Ele desceu e viu os guardas chegando, ou melhor, o guarda porque o outro virou para o outro lado.
Ele pegou um pedaço de madeira e entrou de fininho por trás do guarda e cochichou:

- Se são pessoas, ele vai desmaiar.

Ele bateu forte como nunca batera na vida e fez o guarda desmaiar. Pegou as chaves e abriu para Toshio e Sahray.

- Meu irmãozinho mais fofo desse mundo... Se não fosse por isso eu continuaria te odiando. – disse alegre Sahray.
- Muito obrigado pelo elogio ¬¬’. – agradeceu Kiryu.
- E Sakura como anda? – perguntou Toshio.
- O que?! – perguntou Sahray.
- Sakura... Como anda? – perguntou Toshio.
- Você não conheceu, não conhece e nunca conhecerá Sakura. – disse desconfiada Sahray.
- Mas eu estudo na mesma escola que vocês e...
- Você não estuda na mesma escola que eu e Kiryu! – gritou Sahray.
- Droga! – cochichou Toshio.
- O que você fez com meu amigo, fala agora! – sussurrou Sahray.
- Mana... Corre! CORRE! – gritou Kiryu.

Eles começaram a correr depois que viram que o Toshio era “falso” e entraram floresta adentro.

...

- Toshio! Você lembra aquela vez que eu e você fomos ao Museu... – comentou Mayu enquanto andavam por um longo caminho até a prisão. Mas enquanto Sahray e Kiryu corriam no outro lado da floresta, ela estava no
outro.
- Mas é claro! Eu lembro como se fosse hoje, aquelas pinturas todas e...
- Nós fomos ao Museu dos Dinossauros. – comentou Mayu, virando-se rapidamente e olhando desconfiada.
- É que eu me esqueci. – apressou-se Toshio.
- Humm... E quando e gente se conheceu na sorveteria, Sahray, Tia Yae, Tio Kashi... Ah! Que saudade do Tio Kashi. – disse Mayu, mentindo.
- Claro! E então eu cheguei e vi você sentada na mesa. – terminou Toshio.
- Me fala quem é você? – gritou Mayu.
- Como assim? – perguntou Toshio.
- Nós não nos conhecemos na sorveteria... – confirmou Mayu.
- Fui descoberto! – disse ele, tomando a forma de uma pessoa esquisita.
- Meu Deus! – assustou-se Mayu.
- Você vai morrer de qualquer jeito sua desgraçada! – gritou aquela pessoa estranha.

...

- Cadê ele? – perguntou Kiryu.
- Aqui! – gritou um homem parecido com o outro atrás deles.
- Corre! – gritaram Sahray e Kiryu ao mesmo tempo.

Eles correram pelo meio da floresta... Neste mesmo momento Mayu também estava correndo pela floresta, Sahray e Kiryu ao lado oposto de Mayu e vice-versa.
Eles estavam correndo olhando para trás, quando olharam pra frente e se depararam com mais pessoas que se chocaram e caíram no chão.

- Aaahhh!! Socorro! Uma baleia terráquea caiu por cima de mim! Acuda! – gritava Kiryu em baixo de Sahray.
- Ai! Ui! – gemia Sahray se levantando. – Não me chame de baleia terráquea de novo e eu poupo sua vida.
- Aihn! – gemia outra garota no outro lado. – Sahray, Kiryu!
- Mayu! – gritaram os dois que correram para o abraço.
- Estão fugindo do que? – perguntou Mayu.
- De um Toshio falso! – disse Sahray.
- Coincidência, eu também! – disse apressada Mayu.
- Ai estão vocês! - Gritaram os dois homens esquisitos que chegaram juntos.

Os primos foram indo para trás, subindo em uma escada, pois bem no lugar em que se bateram, havia uma espécie de um altar.

- Se os dois são falsos... Onde está o verdadeiro Toshio? – perguntou Sahray.
- Atrás de vocês! – falou um dos homens.

Eles se viraram e se depararam com algo horrível. Toshio estava pendurado em uma corda que estava em seu pescoço.

- Ai Meu Deus! – gritou desesperadamente Mayu. – Ele... Está... M... Mor... Morto!
- Minha nossa! – sussurrou Kiryu.
- Toshio! O único amigo que eu tive... Não! Não é possível. – lamentava-se Sahray de joelhos em frente à Toshio.
- É possível sim! Tanto que está acontecendo. – disse um dos homens que estava parado assistindo a triste cena.
- Toshio! Apesar de eu ter feito aquilo com você, eu sempre te amei! – cochichou Mayu.
- Nhé Nhé Nhé! - debochou o homem. – Chega dessa cena de amor e vamos direto ao assunto.
- Eu vou me vingar de você, nem que eu tenha que passar por qualquer coisa, mas eu me vingo. – disse Sahray. *Enquanto isso, Kiryu estava indo até o defunto*
- Eu também! – gritou Mayu.
- Acho que não vamos precisar! – gritou Kiryu. – Isso aqui é um boneco!
- Vocês nos enganaram! – gritou Mayu.
- Grrr! Seu pestinha! – gritou um dos homens.
- Aquele Toshio sumiu, se escondeu e ainda não o achamos. Então fizemos isso para vocês pensaram que fosse ele. – disse o outro homem.
- Mas enquanto isso não acontece! Vamos pegar vocês! – disse o homem. *Kiryu ainda estava futricando no altar*
- Achei uma coisa! – disse Kiryu, apertando um botão.

O chão se abriu e eles caíram em uma espécie de esgoto, muito fundo, não dava para ver de cima e então os homens não arriscaram.

- Que nojo! Esse lugar fede... – disse Sahray.
- Queria ficar lá em cima para ser comida de homens esquisitos? – perguntaram Mayu e Kiryu.
- Erm... Acho que o esgoto é melhor! – disse Sahray.
- Olhem! Tem algo lá no fundo... – gritou Mayu.
- É uma carta! – comentou Kiryu quando Sahray a pegou.
- “Queridos amigos, se estiverem lendo esta carta, quer dizer que ainda estou vivo e estou escondido, se conseguirem achar a casa dentro do labirinto vocês me acham!
Com Amor,Toshio” – leu em voz alta Sahray.
- Isso é ótimo... – exclamou com emoção Mayu.
- “Sigam o medalhão”. – leu Kiryu.
- O que? – perguntou Mayu.
- “Sigam o Medalhão, ele é estranho, achei aqui dentro, ele mostrará o cominho.” – terminou de ler Kiryu.
- Ali, brilhando na água, rápido, vamos atrás! – apontou Sahray vendo o medalhão passar.

Eles se atiraram na água e a correnteza os levou, era difícil seguir o medalhão, pois tinha que ficar nadando contra a corrente até que ele some no meio da água e quando chegam perto, é uma descida enorme.
Eles chegam até a tal casa e encontram Toshio ao lado de um candelabro.

- Toshio! – gritou Mayu.
- Meu amor! – disse ele se levantando e beijando Mayu.
- Que lindo... – sorriu Sahray.
- Que nojo! – careteou Kiryu.
- Say! – gritou ele, abraçando a amiga.
- Oi Kyu! Está grande rapaz! – o elogiou.
- Dêem uma olhada na mesa ai. - disse Toshio
- O que tem? – perguntou Kiryu.
- Olhem! Estou preocupadíssimo com o que está escrito ai. – disse ele.
- O.o’ – caretearam os três.

To Be Continued...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.kzam.atra.ig.com.br
!-_Gui Witch_-!
Moderador
Moderador


Número de Mensagens : 495
Idade : 22
Localisation : Em algum lugar do mundo com Lara Croft xD
Data de inscrição : 07/07/2007

MensagemAssunto: Re: The Tormented   Seg Fev 18, 2008 1:33 am

Cap.4 – O Diário de Mayu

- Vamos ver... O que tem aqui? – perguntou-se Sahray.
- Vai direto pra dia 05 de Janeiro. – apressou-se Toshio.
- Achei! – exclamou Sahray. – “05 de Janeiro de 1809... Estou em um lugar bem distante daquela vila horrível, consegui fugir com meu namorado, Toshio. Mas eu descobri uma coisa e se esse diário existir e alguém estiver lendo, saibam que dia 31 de Dezembro de 2008... A vila acordará e irá destruir uma vila, a vila chamada Esperança”.
- Huh! – assustou-se Mayu. – É a nossa vila!
- Nós estamos apenas a 10 dias do dia 31 de Dezembro, temos que correr contra o tempo. – se desesperou Kiryu.
- E agora estamos presos aqui. – disse Toshio sem emoção.
- É... Parece que não podemos fazer nada. Nada mesmo. – comentou Sahray.
- Talvez não... Agora estamos entre mais pessoas, pode ser que tenha algum jeito de sair daqui. – disse Kiryu.
- Até que você pensa... Mas não tem nenhum jeito de sair daqui. – comentou Toshio.
- Não? Vamos ver... – disse Kiryu analisando a minúscula sala. – Eu sabia! Tem um buraco ali.
- Não tinha percebido esse minúsculo buraco. Mas o que vai fazer com ele? – perguntou Toshio.
- Parece que tem mais pra cá, atrás desse armário. – disse Kiryu.
- Kiryu, onde você aprende essas coisas? – perguntou Sahray assustada com seu irmão.
- Não sei! Do nada eu soube o que era pra fazer. – respondeu Kiryu, gesticulando a mão.
- Vamos! Vamos empurrar esse armário. Sahray e Mayu me ajudam. – comentou Toshio.
- Por que eu não? – perguntou Kiryu.
- Porque você não tem força, isso é óbvio né, Kiryu. – disse irritado Toshio.
- Uau! Achamos uma porta de fuga! – gritou alegre Mayu.
- Nossa, vamos, vamos! – gritou Kiryu.
- Temos pouco tempo... – comentou Toshio.

Eles saíram correndo para a floresta e chegaram a uma casa completamente abandonada, com um nome em cima: Casa de Mayu.

- Era a casa dela. Vamos entrar... – disse Kiryu.
- Kiryu! Não! – gritou Sahray, mas já era tarde demais, a porta se fechara com ele dentro.
- Say! Say! – gritava Kiryu.
- Kiryu! Seu intrometido. – irritou Sahray.
- Socorro! Ahhh! – gritava Kiryu quando ficou tudo silencioso.

Eles botaram o ouvido na porta e começou a dar barulhos de madeiras e paredes. De repente a porta começou a tremer repentinamente, como se estivessem batendo na porta muito forte e os gritos de Kiryu ficavam cada vez
mais agonizantes.

- KIRYU! Pelo amor de Deus, não machuque ele, SEUS DESGRAÇADOS! – gritava alto Mayu, parecia que estava possuída.

Tudo parou e a porta se abriu, eles entraram correndo e Kiryu não estava lá, tinha só um rastro de sangue pelo chão.

- Não, não... Isso não é verdade. – cochichava Sahray já imaginando o pior.
- Entrou ali... – disse Mayu que estava abraçada em Toshio.

Quando ela entrou, ela viu uma cena horrível... Kiryu estava atirado no chão, com o pescoço quebrado, desta vez era real.

- NÃO! NÃO! NÃO É VERDADE! – gritou Sahray.
- Sahray... Você já era! – gritou Mayu.

Quando Sahray virou pra trás viu Toshio estendido no chão e logo depois apagou.
Quando acordou, estava sozinho em um quarto escuro, sem a presença de Mayu e Toshio... Mas logo viu os dois, condenados para o sacrifício.
Estava amordaçada, não podia fazer nada, Kiryu estava morto, pensava como contaria a Yae e agora Mayu e Toshio estavam amordaçados que nem ela, condenados a um sacrifício.
Ela se mexeu até que o diário de Mayu que ela levou da sala caiu no chão aberto no Dia 11 de Dezembro, o dia em que eles estavam.
Ela leu atentamente: “Quando meu namorado Toshio se possuiu, fui amordaçada e amarrada, por incrível que pareça, um rato me soltou e eu pude escapar dali e salvar meu namorado.”
Sahray virou pro lado e viu o ratinho vindo em sua direção, ele roeu a corda e soltou-a.

- Obrigada ratinho! – agradeceu Sahray.

Ela saiu andando até os amigos e soltou-os. Eles andaram até um bom pedaço da floresta quando eles viram lobos.

- Droga! São lobos, dos mais ferozes. – gritou Toshio.
- Vamos pra esse lado. – disse Mayu.

Eles saíram correndo para o lado que tinha uma fogueira enorme e quando olharam pra trás Mayu tinha desaparecido.
Os lobos pularam em cima deles e por um milagre de Deus, duas jacas caíram nas cabeças dos lobos e eles desmaiaram.

- Não sabia que o lobo era frágil. – disse Sahray se levantando.
- Não é, aconteceu uma coisa estranha. – comentou Toshio.
- Bom.. Deixa pra lá, vamos ver o que é aquilo. – apontou Sahray.
- Sahray, eu tenho uma confissão pra fazer. – disse Toshio.
- O que é? Está me assustando. – disse Sahray parando.
- Eu... Eu... Eu gosto de você. – revelou Toshio.
- Erm... Mas você está junto com Mayu. – contrariou Sahray.
- Mas não sinto uma coisa tão forte por como sinto por você. – disse Toshio, chegando mais perto de Sahray e agarrando-a.
- Não... Toshio... Vou trair minha própria prima. – cochichou ela.
- O que tem? Ela não vai ver... – cochichou Toshio, encostando Sahray em uma árvore.
- Não! – gritou ela. – Não, não posso. No diário disse que Mayu descobria que seu namorado estava traindo-a.
- O diário não tem nada ver com isso. – insistiu Toshio.
- Tem sim, vai acontecer igual... Eu saberia se íamos conseguir, mas a última página, 31 de Dezembro, está arrancada. – contrariou Sahray.
- Arre! Teimosa... Eu desisto. – gritou Toshio vendo que Sahray não tinha jeito.
- Seu falso... Quando Mayu souber disso. – disse Sahray.
- Conte! Só assim eu posso ficar com você. – disse ele.
- Homem é tudo igual, não interessa se é japonês, americano, brasileiro, enfim... Só muda o endereço. – disse Sahray irritada.
- É só um beijinho. – implorou Toshio.
- Não! – gritou Sahray. – Vamos indo, estamos chegando perto da lareira ou fogueira, sei lá o que é aquilo.

Eles seguiram em frente até chegar a uma fogueira com um monte de “magos” falando coisas estranhas.

- Este deve ser outro ritual. – comentou Toshio.
- Sai pra lá! Não quero você perto de mim. - gritou Sahray.
- Sua chata! Não vou te agarrar. – disse ele. – E fale baixo.
- Está bem, está...

De repente Toshio tasca um beijo quente em Sahray e ela se entrega totalmente, traindo sua prima. Eles se atiraram no chão e deram mais um beijo quando...

- Regra número 1... Nunca me trair! – gritou Mayu possuída.

To Be Continued...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.kzam.atra.ig.com.br
!-_Gui Witch_-!
Moderador
Moderador


Número de Mensagens : 495
Idade : 22
Localisation : Em algum lugar do mundo com Lara Croft xD
Data de inscrição : 07/07/2007

MensagemAssunto: Re: The Tormented   Dom Fev 24, 2008 12:42 pm

Cap.5 – O Amante Possuído

- Mayu não... – dizia Sahray quando ela vem pra cima dos dois.
- Você me traiu... Não tenho mais motivos para não te matar. – disse Mayu.
- Não... Foi a galinha do Toshio, ele me agarrou. Acredite em mim! – gritou Sahray.
- Não! Você é uma maldição... – disse Mayu.
- Pelo Kiryu, ele não gostaria de te ver assim! Por favor! – implorou Sahray.

Ela ficou com os olhos normais e ficou sã.

- Mayu? Minha prima! – gritou Sahray indo a sua direção.
- Sai de perto de mim, sua nojenta, como pôde? – perguntou Mayu indo pra trás. – E você? Seu galinha!
- Não fui eu, ela que se entregou... Ai! – gritou Toshio logo depois de um tapão.
- Isso é pra você sentir o que eu senti, na verdade, você não sabe o que é ser traído né, eu nunca te trai. – cochichou Mayu.
- Viu só... Sua galinha despenada! Viu o que você fez? – perguntou Sahray furiosa.
- Vi! Beijei-te! – gritou Toshio achando engraçado.
- Idiota... Você acha o que me fez foi bom? – perguntou Sahray.
- Foi ótimo! – disse ele.
- Aff... Você me botou contra Mayu, era isso o que queria né... Você acha que estou feliz com isso? – perguntou Sahray.
- Erm.. Mas é c...
- NÃO! Eu não estou feliz. – gritou Sahray, indo atrás de Mayu.
- Sua desgraçada, nunca se fala assim com Toshio... Você vai ser minha pra sempre... Pra sempre... – disse ele, ficando possuído pela 1ª vez.

Enquanto em outro lugar...

- Mayu! Mayu! – gritava Sahray.
- Sai daqui! Não quero te ver. – disse Mayu.
- Não fui eu, Toshio... Erm, Toshio... Fez-me uma confissão. – disse Sahray implorando.
- Qual? – virou-se Mayu agora interessada.
- Ele disse que me amava e tentou me agarrar, mas eu não deixei, então enquanto estávamos vendo a fogueira ele me agarrou desprevenida. – explicou Sahray.
- Humpf! Grandes coisas, mesmo assim eu não aceito, Tchau! Até nunca mais! – gritou Mayu.
- Droga! – sussurrou Sahray.
- Sahrayzinha! Uhuuuuu!! Cadê a guriezinha do Toshio, cadê? – perguntava Toshio, com uma corda na mão.
- O que você q...
- Ahá! Te peguei! – disse Toshio, amordaçando a boca dela e amarrando as mãos. – Vamos para um lugar bem isolado, vamos.

Ele a levou para um lugar desconhecido, no meio do nada. Jogou-a no chão no chão e lhe deu um beijo, pegou ela, levantou sua saia e tirou a fita de sua boca.

- Nem pense em fazer isso! – gritou Sahray.
- Quem vai me impedir? – perguntou Toshio.
- Não! – gritou Sahray.

Um tempo depois...

- Onde estou? – perguntou-se Sahray.
- Oi! Você gostou? – perguntou Toshio.
- Nojento, não quero mais olhar pra você. – disse Sahray.
- Trouxe uma amiguinha pra você, ela está ali, no cantinho... O nome dela é Mayu. – cochichou Toshio no ouvido de Sahray.
- Mayu?! Fale comigo. – gritou Sahray.
- Say! Socorro! Você estava certa, eu acredito em você. – respondeu Mayu.
- Coitadinhas! Tão inocentes tão indefesas. – debochou Toshio. – Eu vou deixar vocês ai, mofando.
- Toshio, me tire daqui! Você vai morrer lá fora. – gritou Mayu.
- Mayu! Cadê você? Não te enxergo. – perguntou Sahray, andando pelo local desconhecido.
- Aqui! Estou aqui! Eu te vejo, estou na sua esquerda. – respondeu Mayu.
- Mayu! Achei-te! Vou tirar você daí. – disse Sahray.
- Obrigada! Nunca mais vou duvidar de você, vamos, pelo Kiryu. – disse Mayu. De repente, Sahray começou a chorar.
- Oh Meu Deus! Calma, não chora! – consolou Mayu.
- Eu sinto tanta saudade, como queria que ele voltasse comigo. – resmungou Sahray.
- Acalme-se! Ele gostaria que a gente conseguisse passar por isso juntas e é o que vamos fazer. – disse Mayu, agora, levantando moral.
- Vamos! – gritou Sahray.
- Onde vocês pensam que vão? – perguntou Toshio que estava com um machado nas mãos.
- Erm... Solta isso Toshio, não te devemos satisfações. – respondeu Mayu.
- Eu estou fazendo por amor, POR AMOR! – gritou Toshio. – E é assim que me retribuem? Traindo-me?
- Não, não é o que você pensa Toshio. – tentou acalmá-lo Sahray. – Corre!

As duas saíram correndo e Toshio veio logo atrás. Elas estavam quase chegando perto das casas quando Sahray olhou pra trás e foi parando.
Sahray não viu ninguém, apenas uma coisa no chão e o machado de Toshio. Ela chegou mais perto e viu que era o pingente de Mayu e saiu correndo dali, pois chegou à conclusão que os dois tinham sido raptados de uma forma que ela não visse e nem ouvisse.
De repente, a porta da casa de Mayu estava aberta novamente e ela entrou para ver o corpo de Kiryu, mas para sua surpresa o corpo não estava mais lá.
Ela subiu as escadas lentamente até chegar a uma porta dourada que parecia ser o quarto de Mayu. Ela tocou levemente a maçaneta e abriu com força.

Tinha apenas uma caixinha de música girando e quando ela parou e olhou, a caixinha parou também. Sahray chegou mais perto da cama, se abaixou e olhou (sinceramente, ela é louca) para ver se tinha algo.
Quando levantou a coberta... Surpresa! Não tinha nada.
Ela ia sair dali quando ela ouve passos de pessoa correndo no corredor e se esconde embaixo da cama e ouve a porta se fechando.
Lá de baixo dava pra ouvir e ela ficou atenta.

- Não! Não arrombe esta porta... Say, como eu precisava de você agora. – dizia um garotinho.
- Kiryu?! – perguntou-se Sahray em voz baixa.
- Por favor, me deixe em paz sua coisa invisível. Sou só uma criança. Vou me esconder embaixo da cama. – disse o garotinho.

Ele se meteu embaixo da cama e para sua surpresa...

- Ai! Quem ta aqui? Não é aquela sombra invisível, é? – perguntou ele.
- Oi Kyu! Sou eu, Say. – cochichou ela.
- Ahhh! – gritou o garoto, saindo de baixo da cama. Sahray saiu também e ele e ela se viram.
- Kiryu? Você não morreu? – perguntou Sahray.
- Não, eu estava preso nesta casa o tempo todo. Vai dizer que vocês viram o corpo dilacerado lá embaixo e pensaram que era eu? – perguntou Kiryu.
- Pensamos, mas e aquela barulheira na porta e tudo mais? – perguntou Sahray.
- Sim, isso aconteceu, mas eu não morri! Eu consegui escapar por um fio, mas consegui. – respondeu ele sorridente.
- Você está todo arranhado. Então foi isso que aconteceu com você. – disse ela.
- Exato! Vamos temos que correr, eu vi o fantasma de Mayu, era uma garotinha linda. Ela me disse que nessa casa, há um segredo. Nós só temos que descobrir. Temos que descobrir os enigmas que ela deixou pela casa para nós escaparmos. – comentou Kiryu.
- Está bem! Por onde começamos? – perguntou Sahray.

To Be Continued...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.kzam.atra.ig.com.br
!-_Gui Witch_-!
Moderador
Moderador


Número de Mensagens : 495
Idade : 22
Localisation : Em algum lugar do mundo com Lara Croft xD
Data de inscrição : 07/07/2007

MensagemAssunto: Re: The Tormented   Ter Mar 11, 2008 9:21 pm

Cap.6 – Os Segredos de Mayu

Kiryu e Sahray saíram do quarto lentamente... Devagar até o outro quarto e para a surpresa dos dois, havia algo de errado no quarto de Mayu que ficava no fim do corredor.


- Mamãe, o papai vai ficar bem? – perguntava uma linda garotinha.
- Aquela é Mayu! – apontou Kiryu.
- Sim, é claro que vai... – disse a mãe de Mayu.
- Mas ele me bate toda noite. – disse Mayu.
- Como é que é? Ele te bate? – perguntou surpresa a mãe de Mayu.
- Sim! – afirmou Mayu.
- Olá garotas! – gritou um homem no quarto de Mayu.
- O que você vai fazer Tanaka? – perguntou a mãe de Mayu.
- Saia da minha frente Hinata! – gritou Tanaka.

Tanaka esfaqueou Hinata e depois pegou Mayu.

- Vem aqui, minha garotinha! – disse Tanaka.
- Me solte! – gritava Mayu.
- Que horror! Ele matou a mãe de Mayu e ainda a estuprava. – comentou horrorizada Sahray.
- A vida era muito dura para Mayu! – exclamou Kiryu.
- Temos que descobrir o que há de pista nisso... Talvez as marcas no colchão, sangue, alguma coisa. – disse Sahray.
- Talvez sangue. – apontou Kiryu para o rastro de sangue no chão.
- Vai para a parede. – comentou Sahray. Eles foram até lá e futricaram até que Sahray achou um alçapão secreto.

Dentro dele havia um poço, uma casinha de bonecas e muitos salgadinhos.
Eles estavam atentos quando outra imagem apareceu.

- Por favor... Ajude-me a escapar daqui poço bom, me ajude! – gritava Mayu. – Eu prometo ser uma garota boazinha.
- O que é isso? Uma oferenda ao poço? – perguntou Kiryu.
- Talvez o poço seja um deus para ela. – respondeu Sahray.
- Hahaha! O poço é um deus! Hahaha! – ria Kiryu. Quando ele virou para Sahray, ela estava o encarando com uma cara nada boa. – Desculpe! Hehehe!
- Faça com que papai não me ache aqui, por favor. – pediu Mayu. De repente ela foi engolida pelo poço e o pai dela entrou bem na hora que ela caiu no poço.
- Onde está Mayu? – perguntou Tanaka. – Droga! Ela não está aqui!
- Vamos até o poço... – apressou-se Sahray.
- Muito Obrigada poço! Estou agradecida. – agradeceu Mayu. – Só eu subir a corda e chego lá em cima. Vou escapar deste lugar.
-Essa é a fuga dela, não podemos perder nenhum detalhe. – disse Kiryu.

Mayu foi até seu quarto e pegou uma trouxinha de roupas e colocou em uma mochila rosa.
Ela voltou ao lugar “secreto” e saiu por uma porta camuflada e chegou aos fundos da casa.
Ela viu que seu pai estava procurando-a pelo jardim e subiu para o segundo andar. Ele viu e foi até lá em cima. Quando ela estava na parte de cima na frente da escada, seu pai estava na parte debaixo em frente à escada. Ela correu, Sahray e Kiryu seguiram, eles repararam que a coisa invisível era Tanaka. Eles foram para dentro do quarto que estavam antes, o outro quarto de Mayu.

- O que eu faço agora? – perguntava-se Mayu.
- Mayu! Abre essa porta! – gritava Tanaka.
- Nã... Ahhh! – gritou ela, caindo numa parede secreta.
- Vamos ver! – exclamou Kiryu.
- Garota abusada, caiu na minha jaula... Vamos para baixo. – disse calmamente Tanaka.
- Jaula?! – assustaram-se Sahray e Kiryu.
- Onde estou? É uma prisão, foi aqui que papai aprisionou minhas amigas e matou-as. – concluiu Mayu que começou a chorar de raiva. – Ele vai pagar!
- Meu Deus! Mais isso foi mais longe do que eu pensava! – exclamou Sahray.
- Nem tudo é o que parece... – suspirou Kiryu.
- Olha lá, ele está lá! – apontou Sahray.
- Olá Mayuzinha! – exclamou Tanaka. – Que prazer em ver você.
- Seu nojento, sai daqui! – gritou Mayu.
- Não vou, não! – gritou ele.
- Você vai ver... – disse Mayu. Ela viu uma faca ali perto, pegou disfarçadamente e chegou bem perto de seu pai.
- Veio dar um beijo em seu pai, foi? – perguntou Tanaka.
- Não... Vim dar uma facada em você! – cochichou ela dando uma facada em seu peito.
- Huh! Ela o esfaqueou! – gritou Sahray espantada.
- O que será que ela quer? – perguntou Kiryu.
- Não sei... Mas talvez se... – dizia Sahray quando ficou meio hipnotizada.

Flashback

- Oi Sahray! Vem com o papai vem, vamos brincar um pouquinho. – disse Kashi, pai de Sahray.
- Sai daqui seu monstro! – gritou Sahray enfiando uma faca em seu peito.

Fim do Flashback

- Sahray?! – perguntava Kiryu esperando um sinal de vida.
- Erm... Eu lembrei de uma coisa agora. – comentou Sahray.
- O que?! – perguntou Kiryu.
- Ah... Kiryu, você lembra quando eu falei que eu vi papai morrer? – perguntou Sahray chorando.
- Sim... Say, o que foi? Por que chora? – perguntou Kiryu.
- Eu matei papai! Eu fiz igualzinho a Mayu. Ele também me abusava, mas mamãe nunca soube. – disse Sahray soluçando.
- Say... Não tenho o que falar. Co... Como você pôde? – perguntou Kiryu.
- Sei que você o adorava, mas foi automático, eu não queria! – gritou Sahray.
- Ok, Ok! Eu entendo... – consolou Kiryu. A porta do alçapão bate do nada, se trancando.
- Não abre! E ag... – dizia Sahray. – Kiryu, atrás de você.

Kiryu olhou e lá estavam Mayu e Toshio ensangüentados e amarrados com correntes.

- O que tem ali? – perguntou Kiryu.
- Como assim?! Não está vendo Toshio e Mayu? – disse Sahray.
- Sahray, você não está bem! Vamos sair daqui! – exclamou Kiryu.
- A porta está trancada... Como... – dizia Sahray quando viu Kiryu passando pela porta fechada.
- Você está tendo alucinações, vamos sair daqui! – insistiu Kiryu.
- Kiryu, atrás de você, agora é sério... – disse Sahray.
- Say... Não tem n... – dizia Kiryu quando sua cabeça é cortada.
- Meu Deus! Kiryu! Não! – soluçava Sahray.

Desta vez, Kiryu havia morrido, não tinha como dizer ao contrário. A cabeça dele estava lá, no chão juntamente com o seu corpo.
Sahray foi indo pra trás com medo da figura estranha que logo reconheceu... Kashi!

- Kiryu não tinha nada a ver com isso, por que você o matou? – perguntou Sahray.
- Sahray... Sahray... SAHRAY! – gritou ele.
- O que é? – perguntou ela impaciente.
- Caramba, você estava dizendo: “Kiryu não tinha nada a ver com isso, por que você o matou?”. – disse Kiryu. – Está ficando doida, vem, vamos.
- Está bem! Concordo com você. – confirmou Sahray.

Eles saíram e quando chegaram lá embaixo no corredor escuro encontraram Mayu correndo para uma porta e logo atrás Toshio, o namorado de Mayu.
Sahray e Kiryu seguiram-nos chegando a uma cama. Os dois estavam lá, se beijando... Neste tempo, Mayu morava com sua irmã Chyrin e Mayu vivia um amor proibido com Toshio.
Os dois começaram a tirar as roupas e Sahray logo sacou o que era fechou os olhos de Kiryu.

- Tira isso da minha cara, vai vim a melhor parte! – resmungou ele.
- Kiryu, seu menino levado! – gritou Sahray. – Vai ficar sem ver.
- Mayu?! Você está ai? – perguntou Chyrin chegando em casa.
- Droga, é Chyrin. Esconda-se Toshio. – cochichou Mayu.
- Mas não mesmo! – gritou Chyrin. – Sua vagabunda! Você vai ver o que é bom pra tosse.
- Não Chyrin! Não! – gritou Mayu que começou a ser espancada.
- Ela vivia uma vida sofrida... Como pôde agüentar tanto tempo? – perguntou Sahray.
- Say... Tem uma outra Mayu seguindo pelo corredor. – avisou Kiryu.

Eles seguiram a outra Mayu que apareceu e chegaram até o jardim. Ela estava perto de uma parede quando foi pega por sua irmã... Ela logo sumiu e não apareceu mais nada.

- Você acha que tem algo na parede? – perguntou Sahray.
- Não sei. Vamos ver! – disse Kiryu. Eles chegaram lá perto e mexeram na parede que se abriu e revelou um lugar quente, parecia um vulcão. Quando foram mais pra frente, encontraram Toshio e Mayu presos em uma jaula.
- Toshio, Mayu! Aqui! – gritou Sahray.
- Say! Socorro! – gritou Mayu. – Eu e Toshio vamos ser levados para o ritual, tire-nos daqui.
- Estou indo! – gritou Sahray.
- Mas só uma coisa... O que Mayu queria aqui? – perguntou Kiryu.

Sahray pensou um pouco e teve uma visão do passado reveladora...

- O que estava fazendo aqui? – perguntou Chyrin.
- Nada! Eu estava só pensando um pouco. – respondeu Mayu.
- Vou sair e já volto ok? – disse Chyrin. Ela saiu e Sahray voltou à parede. Ela abriu a parede e falou com três pessoas que estavam na jaula.
- Estão aconchegados ai? Hahaha! – perguntou Mayu.
- Você vai pagar por isso Mayu! – gritou um garoto;
- Vocês nunca vão escapar deste lugar, nem mesmo minha irmã. – disse ela.

Sahray e voltou da visão e pegou rapidamente o diário. Mexeu na capa e tirou uma fita da frente com o nome “Mayu” e por trás dela... Chyrin!

- Mayu... Mayu era a vilã o tempo todo! – surpreendeu-se Sahray.
- Toshio era namorado de Chyrin e estava hipnotizado por Mayu! Na verdade, quem estava no dia da morte de Hinata e era estuprada era Chyrin. – disse Kiryu.
- Gente do céu, to chocada! – disse Sahray.
- O ritual não era feito com os jovens, mas foi feito com Chyrin, por que Mayu conseguiu escapar. Então... Mayu estava sendo caçada e eles acreditam que a Mayu nossa prima seja a reencarnação da outra. – concluiu Sahray.
- Caramba! Isso foi revelador! – gritou Toshio lá de baixo que ouviu tudo.
- Então eu irei escapar mesmo assim? – perguntou Mayu.
- Talvez... Você vá e eu fique, pois Chyrin é parecido com Sahray e no livro diz que ela fugiu com seu namorado Toshio. – disse Sahray. – Mayu deve ter levado o diário com ela para escrever sobre sua vida e tapou o nome de sua irmã com uma fita.
- Que confusão! Mas resolvemos uma coisa pelo menos. Mas não precisa ser igual ao diário, nós todos nós podemos sair ilesos deste lugar. – comentou Kiryu.
- Você tem razão, mas por enquanto tudo foi igual ao diário... – confirmou Sahray que lia o livro atentamente.

To Be Continued...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.kzam.atra.ig.com.br
!-_Gui Witch_-!
Moderador
Moderador


Número de Mensagens : 495
Idade : 22
Localisation : Em algum lugar do mundo com Lara Croft xD
Data de inscrição : 07/07/2007

MensagemAssunto: Re: The Tormented   Qui Abr 24, 2008 8:34 pm

Cap.7 – A Casa dos Flashbacks

- Ei! Vocês? Tem como nos tirar daqui? – perguntou Toshio.
- Erm... Desculpe Toshio, ficamos conversando. – respondeu Sahray. Eles tiraram os dois de lá e foram embora. No meio encontraram um garoto sinistro.
- Olá... Sou Kirin! Posso ser a salvação de vocês ou o pior pesadelo, depende como me tratarem. – disse o garoto.
- Queremos ajuda pra sair desse lugar! Por favor... – pediu Toshio.
- É o seguinte... Neste lugar, vocês são reencarnações de pessoas daqui. Sahray, Chyrin... Mayu, Mayu... Toshio, Toshio... Kiryu, Kirin, eu no caso... Sakura, Nakira! – disse Kirin.
- Eu sou você! Que estranho... – comentou Kiryu.
- Sakura? Erm... Nossa colega? – perguntou Sahray.
- Isso! Ela está aqui, seguiu vocês. Vocês nem repararam, mas ela está aqui e precisa da ajuda de vocês. Vão à direção naquela casa, vocês podem encontrá-la lá. – respondeu ele.
- Obrigado, outro eu... – brincou Kiryu. Eles foram até a casa e encontraram Sakura sentada no degrau da escada da casa.
- Olá Sakura! – disse Mayu. – Está se divertindo?
- Não! Não tive a intenção... Eu...
- Teve a intenção sim... Você nos seguiu e entrou nesse lugar monótono e horripilante. – gritou Toshio.
- Toshio tem toda razão, mas nós temos que ficar unidos, é o único jeito de sairmos daqui. – comentou Sahray.
- Eu aceito! Faço qualquer coisa pra sair daqui. – disse Sakura.
- Só que tem uma condição... Quando a gente sair deste lugar, você vai nos tratar como amigos? – perguntou Kiryu.
- Erm... Eu vou tentar, pois nem minhas amigas fariam o que vocês estão fazendo por mim. – disse Sakura.
- Vamos entrar aqui... Talvez haja alguma coisa de interessante sem ser pessoas com foices e garfos gigantes. – comentou Sahray.
- Vamos naquele quarto... Parece que há alguma coisa lá pelo que dá para ver daqui. – apontou Toshio. Eles subiram as escadas até o “tal quarto”... Era um quarto cheio de espelhos, de repente, Mayu começou a ficar
fraca, se ajoelhou e desmaiou.

Nos espelhos começaram a aparecer imagens que pareciam flashbacks. Enquanto Mayu estava ali, os outros prestavam atenção nas cenas.

Flashback

- Você vai para Sahray no final de semana? – perguntou Toshio.
- Vou... Ninguém merece, detesto ir pra Sahray. Nunca tem nada pra fazer e a Sahray é muito enjoada, pelo amor de Deus! – disse Mayu
- Mas... Pensei que você gostava de ir pra lá. Sempre volta falando da Tia Yae, do Kiryu...
- Você ouviu alguma vez na vida eu falar de Sahray? Não, porque ele sempre vem com aqueles assuntinhos enjoadinhos dela: “Oi priminha, olha o coraçãozinho que fiz”.

...

- Nunca fale assim comigo! Porque faz isso? Sempre te amei! – gritava Miuki, mãe de Mayu.
- Mas eu nunca te amei! Você fica colocando regras idiotas, sempre faz aquela comida gosmenta e horrorosa. Você não é minha mãe! – gritou Mayu.
- Mayu... Você não é minha filha! – gritou Miuki, pegando Mayu pelos cabelos e batendo com um rolo de macarrão nela.
- Vou
pra casa de Sahray, pelo menos a comida da tia
Yae e os assuntos da Sahray são melhores do que viver aqui com você.
- Vá! Quando quiser voltar, estarei de portas abertas...
- Humpf... Idiota!

Fim do Flashback

Mayu acordava lentamente enquanto Sahray ficava intacta do mesmo jeito quando viu Mayu dizendo aquilo sobre ela. Mayu levantou-se e ficou olhando para todos, até que Sahray virou-se lentamente para ela e comentoualgo.

- Sua falsa! Desgraçada! Você mentia pra mim o tempo todo! – gritou Sahray.
-... Do que está falando? – perguntou Mayu. *Toshio olhava uma plaqueta na sala*
- Do que eu vi... De você falando que sou enjoada e que sou a pior prima pra você.
- Isso funciona pra ver quem realmente são as pessoas, é a Casa das Memórias. Ou bem dizendo, a Casa dos Flashbacks. – disse Toshio. – Caca pessoa que estiver na sala, vai ter no máximo 2 flashbacks marcantes que
revelam quem é a pessoa por dentro. Isso foi o que aconteceu com Mayu, mas não podemos nos virar um contra outro, o que acontecer aqui, deverá ser esquecido, pois o único jeito de sair daqui é ficarmos unido.
- Desculpa Sahray, sei que você nunca esperava isso de mim... Mas é que nunca tiver coragem de falar na sua cara. – desculpou-se Mayu.
- Também não contei tudo o que devia para você, Mayu... – disse Sahray, desmaiando.

Flashback

- Say! O que está fazendo? O desenho que Mayu fez para você... Por que está rabiscando-o? – perguntou Kiryu.
- Desenho que fez pra me irritar... Mayu e Toshio: Amor eterno! – gritou Sahray.
- Ah! Você é apaixonadinha pelo Toshio... Esqueci-me, vou indo! – disse Kiryu
- Eu não sou apaixonadinha pelo Toshio e aonde você vai?
- Erm... É... Eu vou ali, ali no meu quarto.
- Arrumado desse jeito?
- É que eu acabei de ir ao mercado para mamãe...
- Tchau! Eu te odeio Mayu...

...

- O que?! Toshio e Mayu com anel de namoro? Não acredito! – exclamava Sahray.
- Pois é... Eu soube disso agora, fiquei chocada. – disse uma amiga de Sahray.
- Olha lá eles... Todos alegres, felizes. Enquanto eu fico sem ninguém.
- Mitsukin gosta de você... É melhor do que não ter nada.
- O Mitsukin?! Cruz credo, prefiro ficar sozinha. Eles estão vindo pra cá.
- Oi Say! Olha nosso anel de namoro. – disse Mayu.
- Nossa! Que lindo, adorei, que você sejam felizes!
- Falsa! – sussurrou a amiga de Sahray.

Fim do Flashback

- Caramba, então ela sempre nos odiou e nós sempre ficava nos mostrando para ela. – comentou Toshio.
- Na verdade, nunca odiei vocês... Apenas odiei o namoro de vocês, nunca aceitei vendo Toshio com minha prima que eu achava que gostava de mim. – gritou Sahray.
- Hehe... – Mayu deu uma risadinha discreta e envergonhada.
- Mas quem seria o próximo? – perguntou Sakura.
- Não sei... Só sei que vai ser eu ou você. – disse Toshio.
- Será? – perguntou Kiryu, que ficou intacto e seus olhos ficaram brancos. Uma coisa para-normal.

Flashback

- Eu não sou apaixonadinha pelo Toshio e aonde você vai?
- Erm... É... Eu vou ali, ali no meu quarto.
- Arrumado desse jeito?
- É que eu acabei de ir ao mercado para mamãe...
- Tchau! Eu te odeio Mayu... – Kiryu desceu as escadas e foi pra rua.
- E então? Cadê a grana? – perguntou uma pessoa.
- Não tenho... Tenho bolinhas de gude, aceita?
- Se tiver uma olho-de-gato...
- Aqui está! Mas lembre-se, faça um estrago... Quero ver minha irmã feliz.
- Ok!

...

- Trabalho feito Kiryu! – exclamou a pessoa misteriosa em um outro dia.
- Ótimo! O que você fez? – perguntou Kiryu.
- Simplesmente mandei uns bilhetes fazendo os dois ficarem um contra o outro e acabando com o namoro deles.
- Ótimo... Mayu está fora do caminho de Say, Toshio tem de ser dela agora.
- Você é mau, Kiryu!
- Só quero ver minha irmã feliz!!!

Fim do Flashback

- Com certeza, esse foi o pior flashback que eu já vi. – disse Sahray.
- Kiryu, nunca imaginei que fizesse isso. Fiquei chocada. – comentou Sakura.
- As pessoas nunca são quem nós pensamos! – sussurrou Mayu.
- Mas eu só quis ajudar Say a ficar com Toshio, não queria causar transtornos. – disse Kiryu, voltando do transe.
- Isso já está ficando chato... Está demorando muito, só quero saber o que vai acontecer quando sairmos daqui. – reclamou Sahray.
- Acho que é a vez de Toshio... – apontou Sakura.

Flashback

- O que você fez? O que você fez? – perguntava um garoto incontrolado.
- Eu não sei... Apenas dei uma paulada na cabeça dele, como você mandou. – dizia Toshio.
- Mas com o bastão, não com a garrafa! E agora você matou o cara. Aliás, quem era esse cara?
- Deixe-me verificar... – quando Toshio virou, carregava uma culpa tão grande nas costas como nunca.
- Toshio?! Que foi cara?
- Meu... Tio! Lembrei de ele ter falado que estava trabalhando em um museu, mas não lembrava que era nesse. Eu quero morrer! Mate-me! Mate-me!
- Acalme-se... Tudo vai acabar bem.

...

- Fique parado! Você está cercado, não tem para onde fugir. – gritava um policial.
- Tenho sim... – disse Toshio pegando uma arma de sua gaveta. Ele saiu correndo pela porta dos fundos e tinha dois policias, ele atirou nos dois e saiu por meio do mato. Na noite estava cheio de policiais na floresta e Toshio matou um deles, alertando o resto.
Ele correu atirando contra os policiais e chegou á um porto.
Pegou o barco e saiu navegando durante semanas até Japão. Ele foi para Hong Kong e saiu na pacata vila de Esperança!

Fim do Flashback

-... – Todo mundo ficou mudo na sala.
- Então... Ele é um fugitivo da polícia? – disse espantada Sakura. – Socorro! Socorro!
- Tadinha... Às vezes tenho pena dela! – exclamou Sahray.
- Nossa! Que dor de cabeça. – disse Toshio acordando, todo mundo se afastava.
- Seu assassino e fugitivo! Não chegue perto e mim! – gritava Sakura.
- ¬¬’ – cartearam todos.
- Você acha se eu quisesse te machucar não teria te machucado há muito tempo? – perguntou Toshio. – Sei que meu passado não é nada bom, mas não sou mais aquele assassino de antes.
- Ele tem razão... Mas vamos ver você então Sakura, qual será o seu passado? – cochichou Kiryu.

Flashback

- Por quê? Queria tanto ser amiga deles, estão sempre alegres e divertidos. – dizia Sakura.
- Mas por quer não é amiga deles? – perguntou mãe de Sakura.
- Porque tenho que manter minha postura de patricinha mimada. Mas um dia eu vou ser amiga deles! É só eu deixar esse meu orgulho social e me juntar a eles.
- Filha, não gosto de te ver triste assim. Vamos jantar e você vai dormir, tenta conversar com eles sem aquelas suas amigas.
- Então vamos.

...

- Sahray! – gritou Sakura.
- Ah não! O que aquela pati quer? – murmurou Sahray.
- Erm... – logo que Sakura viu que todos olhavam pra ela, mudou de idéia. – Veio com a mesma roupa de sempre, sua pobre.
- Sabia... – sussurrou Sahray.
- Vai andando daqui agora, sua pobre. Nunca vai honrar sua família!
- Tchau Sakura! – gritou Sahray, esbarrando em Sakura. Logo que Sahray estava longe, Sakura abaixou a cabeça.
- Desculpa Sahray... Não queria fazer isso, sinto muito!

Fim do Flashback

- Ai! Que sensação esquisita! – gritou Sakura.
- Sakura! – gritaram todos, abraçando-a.
- Sempre quis sentir isso, é tão bom... – disse Sakura.
- Bem-vinda ao grupo! – exclamou Toshio.
- Agora vamos seguir unidos até o fim, aconteça o que acontecer. – disse Kiryu.
- Aconteça o que acontecer? Não entendi. – disse Sakura.
- Esquece! – disseram todos.
- Ei! Rápido, venham aqui! Não percam a chance, vocês podem sair daqui antes do que imaginam. – gritou Kirin.

To Be Continued...

_________________
"Periquito foi a feira comprar suco de limão..." xD

Autor(a): Máah Wink
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://www.kzam.atra.ig.com.br
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: The Tormented   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
The Tormented
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Games Fox :: Games Fox :: Sua História-
Ir para: